janeiro 2015 Posts

3 receitas de sucos amigos do bronzeado!

O verão é uma época maravilhosa: muito sol, piscina, praia, caminhadas ao ar livre… E tudo isso exige uma boa hidratação! Mas que tal beber, além de algo, vitaminas que ajudam a manter o bronze?

Clicado por: Jeshoots

Clicado por: Jeshoots

Cenoura, beterraba, abóbora e manga são alguns alimentos ricos em betacaroneto, substância que dá cor às frutas e estimula a produção de melanina na pele, ajudando a manter a cor dourada da pele.

Para aproveitar essas delícias, aprenda 3 receitas de sucos amigos do bronzeado para deixar seu verão muito mais colorido:

Suco Bronzeador

Clicado por: Margenauer

Clicado por: Margenauer

Ingredientes:
1 copo pequeno de suco de laranja
1/2 beterraba crua
1 cenoura média

Modo de preparo: Centrifugue a cenoura e a beterraba e misture ao suco de laranja.

Suco tropical

Mango with section on a white background

Ingredientes:
1 manga inteira cortada em pedaços
1 cenoura pequena cortada em pedaços
1 colher de chá de gengibre ralado
1 porção de colágeno hidrolisado de laranja
1 copo de Água da Pedra sem gás

Modo de preparo: Bata tudo no liquidificador já com o gelo.

Suco de Laranja com cenoura

Clicado por: Kikatani

Clicado por: Kikatani

Ingredientes: 
3 cenouras
1 copo de suco de laranja

Modo de preparo: Descasque as cenouras e corte em pequenos pedaços. Adicione ao suco de laranja e bata tudo no liquidificador.

Clicado por: Evil Erin

Clicado por: Evil Erin

Agora é só aproveitar o verão! ;)

Fonte

pH: como ele afeta a qualidade da água que você bebe?

clicado por: Flyupmike

clicado por: Flyupmike

Ao beber água, você pensa que ela pode ser mais ácida ou mais alcalina? Ou nem sabe o que é isso? Bem, muito tem se falado nas águas alcalinas. Há quem acredite que elas tenham efeito “desintoxicante”, ajudando a balancear o organismo, já que nossa dieta rica em gordura e açúcar aumenta a acidez do estômago.

Só que o nosso próprio organismo dá conta de regular essa acidez a partir da respiração e, principalmente, da função renal, impedindo que a acidez afete o pH do sangue. Na verdade, a água alcalina poderia impactar negativamente o pH do estômago, que já é naturalmente ácido – e deve continuar assim.

AGU-0001-15-cards-janeiro-3

A dica é apostar no pH neutro (na escala numérica, ele equivale a 7), e não extremamente alcalina, para afetar o mínimo possível o equilíbrio do organismo.

O pH da Água da Pedra segue essa ideia: ele é neutro, equivalendo a 7,2. Ótimo, né?

Foto19_23_01_2015

Mantenha a hidratação com segurança. ;)

Exagerei no sol, e agora? Dicas para amenizar o desconforto.

Sempre que nos expomos ao sol, corremos o risco de queimar a pele – mesmo passando protetor solar! Volta e meia esquecemos de reaplicar o produto ou não espalhamos muito bem em certas áreas do corpo. E esse descuido, às vezes, é suficiente para o indesejado “efeito pimentão”.

Clicado por: Think Of Me

Clicado por: Think Of Me

Um dos problemas com a exposição solar intensa é a descamação, que causa danos à epiderme, camada mais fina e superficial da pele. “Ela atinge as células basais, que originam novas células. Com o efeito do sol sobre elas, aumenta-se a produção celular nessa região. Essas células em excesso expostas ao sol morrem por desidratação, formando uma camada que logo descasca, abrindo caminho para células novas”, explica a dermatologista Juliana Fonte. Se a pele já queimou, alguns cuidados básicos podem ajudar.

Clicado por: EME

Clicado por: EME

Para amenizar a ardência, redobre a hidratação da pele com cremes hidratantes. “Uma boa dica para aliviar a dor ainda é colocar o produto na geladeira por alguns minutos antes de fazer a aplicação”, indica Juliana. Loções pós-sol também acalmam a pele e diminuem o desconforto. Outra dica é apostar nas compressas de água fria sobre a pele quente, pois ela tem efeito anti-inflamatório. Compressas com chá de camomila gelado também ajudam.

Por fim, cuide da hidratação também do lado de dentro. “Beba muita água para combater a desidratação causada pela exposição ao sol”, conclui a médica.

Clicado por: David Chou

Clicado por: David Chou

De resto, siga as orientações gerais sempre que se expuser ao sol:

- O uso do protetor solar é fundamental, evitando queimaduras e reduzindo o risco de câncer de pele. Para que não haja descamação, você deve, além de reaplicar o protetor a cada duas horas, evitar exposição excessiva do sol.

- Respeite o horário. Evite o sol entre 10h e 16h.

- Lembre-se de refrescar a pele: “Aproveite que é verão e refresque-se com um banho de água fria. Com a exposição ao sol, a pele fica muito sensível e ardida e os banhos frios ajudam a aliviar essa sensação”, indica Juliana.

Pegou as dicas? Então agora pegue sua garrafinha de Água da Pedra, proteja a pele e dê aquela caminhada tranquila pela beira do mar. Nada melhor para renovar as energias, não é mesmo? ;)

Clicado por: Ashley2

Clicado por: Ashley2

Em 2015 eu vou… me alimentar melhor!

Clicado por: Blog With Wind

Clicado por: Blog With Wind

Emagrecer ou simplesmente adotar uma alimentação melhor costumam ser itens obrigatórios em qualquer lista de resoluções de ano-novo. Tornar-se mais saudável é mesmo um belo objetivo, mas nada acontece de um dia para o outro: um novo estilo de vida requer novos hábitos.

Você já tentou todos os clichês e nada funcionou? Não desanime!

Temos 10 dicas inusitadas para você chegar lá numa boa:

1. Busque prazer à mesa

Ficar neurótico com dietas e contagem de calorias é receita para a frustração. Elabore pratos leves e saborosos. Eventualmente, dá até pra incluir algum ingrediente que você ama, mas que tem uma fama horrível. Ama bacon? Incluir alguns pedacinhos na salada de rúcula para aquele almoço de domingo não precisa arruinar a dieta. Permita-se: dá pra compensar pequenos deslizes nas refeições seguintes ou em uma caminhada de meia hora pelo bairro.

Clicado por: Blog Niall Kennedy

Clicado por: Blog Niall Kennedy

2. Evite industrializados

Tudo que é feito em casa e com alimentos naturais é melhor. A versão caseira da massa da pizza, do molho de tomate e do suco de laranja dispensa corantes e conservantes, que contêm sódio. Sua pressão arterial agradece!

3. Faça substituições

Aposte na versão mais saudável dos alimentos. Troque o queijo mozarela pela ricota, o presunto pelo peito de peru, a batata frita pelo purê de batatas, o cereal de milho açucarado pela granola… Descubra o lado B do seu prato favorito!

4. Respeite a hora da refeição

Comer é um ato fundamental. Por isso, requer um ambiente calmo, em que você possa saborear tranquilamente tudo o que tem no prato – comer de forma consciente ainda ajuda a evitar excessos. Jamais almoce em frente à TV ou ao computador.

Clicado por: Stick Yii

Clicado por: Stick Yii

5. Coma de tudo

Se você não é diabético ou celíaco, por exemplo, não restrinja o consumo de um ou outro grupo alimentar. Cortar totalmente a gordura ou o carboidrato pode trazer problemas no futuro. Para garantir um prato nutritivo, a regra é simples: deixe-o bem colorido, com muitos vegetais, um ou dois tipos de grãos ou cereais e uma porção de ovo ou carne magra, como peixe ou peito de frango.

6. Organize o cardápio da semana

Essa dica faz dupla com a anterior. Isso porque, por mais colorido que seu prato seja, não dá pra assegurar a ingestão de todos os nutrientes essenciais e nas quantidades ideais em cada porção. Logo, distribua as refeições ao longo da semana pensando na qualidade nutricional de cada uma delas. Que tal montar um cardápio aproximado e colar na geladeira?

7. Faça um diário de dieta

Escreva tudo o que, quanto, quando e onde come. Alguns dias fazendo isso e você logo percebe onde está o erro – ou a porta de entrada para se afundar naquela torta de chocolate. Uma dica bacana é baixar o aplicativo Fat Secret, que traz várias informações sobre os alimentos e permite montar a relação de tudo o que você comeu no dia.

Clicado por: Enok Son

Clicado por: Enok Son

8. Leia o rótulo

Vá além das calorias. Habitue-se a acompanhar as quantidades de carboidrato, gordura, proteína, fibra e sódio nos produtos. Também vale dar uma lida nos ingredientes (eles estão descritos na ordem do mais ao menos abundante) e relacioná-los às quantidade dos nutrientes informados. Alguma barrinhas de cereais, mesmo que não tão calóricas, podem conter mais açúcar que fibras.

9. Regule a farinha branca e o açúcar refinado

Não precisa militar contra as guloseimas, mas faça o teste: diminua drasticamente o consumo de farinha branca e açúcar refinado por alguns dias. Com isso, você vai deixar de comer biscoitos, salgadinhos e congelados pré-prontos, e vai sentir o resultado tanto na cintura como na disposição.

10. Hidrate-se

Vivemos dizendo isso aqui, mas nem todo mundo lembra ou sabe que a quantidade adequada de água pode ser definitiva para o sucesso da dieta. Cerca de 2 litros de água por dia garantem o transporte adequado dos nutrientes pelo corpo, evitam o inchaço e melhoram a digestão.

Clicado por: Lu Oliveira

Clicado por: Lu Oliveira

Desidratação: complicações em curto prazo

Clicado por: Paolo Longo

Clicado por: Paolo Longo

Você já deve ter ouvido falar naquela história de que o corpo humano pode ficar muitos dias sem alimento, mas que, sem água, ele não passa de uma semana. De fato, nosso organismo é uma máquina, e a água, assim como o oxigênio, é seu principal combustível.

Os primeiros sintomas de que o corpo está (literalmente) pedindo água vão além da sede: boca seca, fadiga muscular, palidez, tonturas, urina escura e dor de cabeça são alguns deles. Você certamente já teve uma pequena amostra disso após uma noite bebendo álcool. Nesse caso, ingerir bastante água durante a ressaca costuma resolver completamente o problema em algumas horas.

Porém, um corpo desidratado frequentemente ou por longos períodos pode ser sinal de algo mais grave, causando um desequilíbrio entre as substâncias no sangue: “A desidratação severa é caso de emergência médica e seu tratamento exige reposição de líquidos com eletrólitos. Só com água não é possível reverter o quadro”, aponta a nutricionista Fernanda Bortolon, de Porto Alegre.

Clicado por: Nial Bradshaw

Clicado por: Nial Bradshaw

Em longo prazo, explica a profissional, a desidratação severa leva a vários problemas, como danos no fígado, alterações renais, hipotensão, frequência cardíaca alta, pulso fraco, pés e mãos frios, confusão mental e perda de consciência e até à morte.

Uma desidratação pontual, porém, pode ser revertida: “O importante é ficar atento às causas que levaram o individuo à desidratação, que podem ser em função de patologias crônicas como diabetes não controlado, insuficiência cardíaca ou doença renal”, alerta Fernanda.

Hidratar-se é importante. Logo, siga a recomendação: dois litros de água por dia mantêm seu organismo funcionando numa boa.

Água é vida! ;)