Fitoterapia: a cura pelas plantas

As terapias alternativas podem ser uma solução para quem sofre de um mal e nunca encontrou a cura em fármacos industrializados. Já ouviu falar na fitoterapia? Ela busca o poder das plantas para curar certos problemas de forma mais natural. Dependendo do caso, pode ser tão eficaz quanto os tratamentos convencionais.

Clicado por: Scientiavitae

Clicado por: Scientiavitae

A fitoterapia surgiu por volta de 3000 a.C, na China, e se ocupa, até hoje, do estudo das plantas medicinais. A planta é usada na sua forma natural, não havendo o isolamento de seu princípio ativo para a fabricação de medicamentos (isso a diferencia tanto dos medicamentos sintéticos como dos fitoterápicos, comuns em farmácias de manipulação).

Clicado por: Sabrina Souza

Clicado por: Sabrina Souza

Geralmente, o consumo da planta se dá por meio de infusão em chás e compressas. Com algumas xícaras de chá, dizem os fitoterapeutas, você pode amenizar ou até resolver um problema chato. A água destilada das flores e folhas da urtiga-branca, por exemplo, é um excelente colírio, enquanto que o chá de alecrim pode aliviar crises de ansiedade.

Clicado por: Shiun

Clicado por: Shiun

Mas fique atento: não é porque a fitoterapia segue a linha mais natural que você deve sair por aí tomando infusões sem restrição. A dica é sempre buscar um fitoterapeuta para descobrir a melhor planta para o seu problema.

Já sabe qual a melhor planta pra você e quer preparar em casa? Veja as nossas dicas:

  • Em uma panela, coloque água até ultrapassar dois dedos de distância das ervas. Deixe em repouso por 30 minutos e, em seguida, leve ao fogo por cerca de 20 minutos.
  • Depois de pronta, coe a infusão e deixe-a em um bule com tampa de barro, cerâmica ou vidro. Esse cuidado é importante para não alterar as propriedades do vegetal.
  • Tome de acordo com a indicação do fitoterapeuta.

Clicado por: Ben Matthews

Clicado por: Ben Matthews

Conte sempre com a Água da Pedra para buscar novas formas de manter uma vida equilibrada. ;)

Fonte: Portal CRF SP

Não há comentários

Deixe seu Comentário

Seu email não será publicado e os campos obrigatóriso estão marcados.



*

Current ye@r *